Políticia

Cat-2

Paraíba

Brasil

» » Prender Aécio seria ‘verdadeira aberração’, diz defesa do tucano

Senador Aécio Neves (PSDB-MG) - 05/08/2015A defesa do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) alegou inexistência de crime inafiançável por parte do tucano e disse que uma eventual prisão dele, a ser determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), seria uma “verdadeira aberração”.
O primeiro pedido de prisão do tucano foi feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, logo após a divulgação das delações de executivos da JBS e das investigações em torno dela. Interceptações telefônicas feitas pela Polícia Federal mostram o senador afastado conversando com o empresário Joesley Batista sobre um repasse de R$ 2 milhões e com outros interlocutores, entre eles o ministro Gilmar Mendes, do STF, sobre como controlar as investigações da Operação Lava Jato.
O pedido de prisão foi negado pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, mas Janot recorreu e o caso passará por nova avalição – do próprio Fachin, ou se ele determinar, pelo plenário do Supremo.
Ao rebater o recurso de Janot, a defesa de Aécio diz que “a menos que rompamos de vez com os princípios constitucionais mais caros da nossa República, a decretação de prisão do senador Aécio Neves é uma verdadeira aberração”.
Os advogados Alberto Zacharias Toron, José Eduardo Alckmin e Luiza Vasconcelos Oliver argumentam que a prisão preventiva de um senador só pode ser feita em situação de flagrante crime inafiançável, conforme prevê a Constituição, e alegam que não houve flagrante de nenhum dos três crimes pelos quais o senador é investigado no Supremo – corrupção passiva, obstrução de investigação e participação em organização criminosa.
Em relação ao crime de corrupção, a defesa diz que, se houve, teria sido consumado no dia em que o senador teria pedido vantagem indevida a Joesley, em 24 de março, data em que foi gravado pelo delator, sócio do grupo J&F, que controla a JBS. O recebimento do valor por uma terceira pessoa não permitiria a leitura de que houve flagrante por parte de Aécio, segundo os advogados.
“Faz-se, então e com todo o respeito, verdadeira ginástica interpretativa para dizer que seria possível, hoje, prender o agravado em flagrante por uma conduta ocorrida há mais de um mês. Ainda que assim não fosse e que se pudesse falar em ‘estado de flagrância’ quando do recebimento dos valores indevidos, fato é que, no caso concreto, a entrega do dinheiro não foi feita ao senador Aécio Neves”, diz a defesa.
«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Sobre Jacy Mendonça

Filho de Santa Rita, radialista do programa Jornal 100.5 Notícias na 100.5 FM.

Nenhum comentário

Leave a Reply

Caderno de Esporte

Entretenimento

Mundo

Cat-5

Cat-6